quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Foi só por um segundo

Foi naquela tarde quente de Setembro quando nossos olhos se encontraram na sala fechada e um sorriso brotou na ponta dos meus lábios. Sem dúvida você acabara de roubar meu amor.

Se eu pudesse eleger um momento perfeito, seria aquele em que teus dedos buscaram os meus enquanto assistíamos aquela palestra chata. Você se lembra da minha reação? Quase engasguei com aquele aparente gesto de amor. Seria interessante se pudéssemos repetir cada olhar, cada sorriso e cada palavra, só pra ter certeza de que foi tudo real.

E depois, quando a neve caiu no inverno do ano seguinte... Quanto nós rimos com aqueles flocos tão delicados que se desprendiam das nuvens cinzentas? Naquele instante eu desejei que o tempo se congelasse como as minhas mãos, só pra poder guardar sua expressão de felicidade nítida e viva na minha memória.

- Teus olhos são verdes... - E você riu. Não de mim, porque, afinal, havíamos passado tantos dias juntos que não constatar isso seria realmente muita distração. Você riu da minha conotação, e disse que eu era amável até mesmo quando parecia uma louca.

E em minha loucura eu julguei que você ficaria, que você estaria sempre comigo e que nós seríamos eternos. Pretensão minha? Talvez eu estivesse sendo muito utópica, mas a verdade é que eu não conseguia mais pensar em mim e você; só havia um nós quando nossos nomes rondavam os lábios alheios.

Mas acho que eu me precipite. Como sempre, eu amei mais. Não mais; acho que estou sendo injusta com você. Amamos tudo o que podíamos, cada um de sua forma. Mas eu entreguei meu coração sem hesitar.

E o céu desabou quando entendi, finalmente, todos os sinais que você vinha dando. Partimos, então, cada um para um lado.

Felizes para sempre. Talvez. Mas não na nossa história.

4 comentários:

Andressa disse...

SIMPLESMENTE LINDO
PERFEITO!!!!!!!!!!!!

F. Reis disse...

Engraçado o efeito que as palavras podem ter na gente... Se estivesse num momento "padrao" eu acharia esse post muito lindo e muito triste.
Mas neste meu momento nada padrao, além de todas as impressoes normais eu sinto... uma segurança. De que por mais que as marés me carreguem de um lado pro outro, "i'ts calm under the waves". Continuam existindo algumas coisas universais, algumas situaçoes, alguns momentos.... que sempre vao existir e sempre vao ter o mesmo gosto, independente do lugar do mundo, da fase da vida.

Acho que nem eu tô entendendo esse comentário, quando mais você!

Enfim: lindo post, querida. Obrigada por ele =)

F. Reis disse...

correçao: quanTo mais você
;)

laís D'Andréa disse...

Bom seria se todas as coisas saíssem de acordo com as nossas expectativas. Mas eu acredito piamente que, por mais difícil que uma situação seja, sempre é possível aprender com ela; evoluir com ela; ganhar percepções... E a gente nunca sabe como realmente terminam as histórias.