segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Ensaio sobre o Tempo

"As coisas são o que são, Pequeno Rei. Não existe uma fórmula mágica para conseguir aquilo que se deseja se não estiver no seu destino possuir tal coisa. Não é como uma questão de merecimento; você não merece o amor de uma pessoa por aquilo que faz, apesar de tudo. Você não conquista uma pessoa apenas pelos seus atos. Existem laços, meu pequeno, que não são explicáveis. Há coisas além da sua imaginação, coisas mais antigas e mais perfeitas que o próprio Universo.
Por isso não se culpe por ter tomado uma decisão precipitada. Se ela lhe parece errada agora, foi a mais certa naquele momento."

3 comentários:

Jjls disse...

Pena que esses laços ainda nos tiram o sono... Culpa, tormento, apego...talvez o tempo cure...

laís D'Andréa disse...

Às vezes é impossível saber o que fazer para chegar ao coração de uma pessoa. É triste, mas não depende de nós. Por mais que machuque, é uma constatação. Constatação... Essa palavra tem me machucado há algum tempo; é a palavra que bate o martelo, que dá as coisas como encerradas, definitivas. Minha única dúvida é: será que isso tudo é questão de destino? Soa como dúvida, mas soa também como um fio de esperança, como o último galho ao qual se agarrar antes da queda.

Lindo seu jeito de dizer isso. Um grande beijo!

F. Reis disse...

continua, continua!....